Consórcio de Informações Sociais

Palavras-chave

História do Consórcio de Informações Sociais

O Consorcio de Informações Sociais surgiu em 2003 a partir de um projeto do Prof. Brasilio Sallum Jr., do Departamento de Sociologia da USP, que visava dotar a comunidade acadêmica de ciências sociais de um sistema de compartilhamento de bancos de dados gerados nas investigações de seus pesquisadores. A iniciativa foi inspirada em serviço semelhante existente nos EUA desde os anos 1960, o Inter-Universitary Consortium for Political and Social Research (ICPSR) da Universidade de Michigan. A idéia de construção de um sistema de compartilhamento de informações teve o apoio material e institucional da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, na época sob a direção do Prof. Hernán Chaimovich. O projeto se efetivou sob o abrigo institucional da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais (ANPOCS), dirigida na época pelo Prof. Roque Laraia (presidente) e Profa. Maria Arminda do Nascimento Arruda (secretária-executiva) e do Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Democracia e Desenvolvimento (NADD) da USP, coordenado pelo Prof. Gildo Marçal Brandão. Para a implantação do projeto a ANPOCS recebeu recursos da Fundação Ford e a USP cedeu infra-estrutura física e de computação.

Desde o seu início o CIS esteve sob a coordenação do Prof. Brasilio Sallum Jr. e a construção e manutenção do seu sistema de troca de informações na internet esteve sob a responsabilidade técnica de Roberto T. Araki. O sistema de informações conta com supervisores e monitores que divulgam os serviços prestados pelo CIS, recebem doações de bancos de dados de pesquisadores e empresas de pesquisa e preparam os materiais recebidos para divulgação na internet. Ademais, a coordenação do CIS contou com apoio e diretrizes de um Conselho Superior, composto pelo(a) Secretario(a)a Executivo(a) da ANPOCS, pelo coordenador do NADD-USP e pelos professores Abílio Baeta Neves, da UFRGS, George Avelino, da FGV-SP, Raquel Meneguelo, da UNICAMP, Nelson do Valle Silva, do IUPERJ, Neuma Aguiar, da UFMG, além do coordenador do projeto.

O sítio do CIS na internet www.nadd.prp.usp.br/cis foi inaugurado em novembro de 2003 com um pequeno acervo de 16 bancos de dados e 220 links para bancos de dados e tabelas online disponibilizados por outras instituições brasileiras de pesquisa. De início, o acesso ao sistema era controlado por senhas entregues aos coordenadores de programas de pós-graduação e centros de pesquisa associados à ANPOCS que encarregavam-se de distribuí-las a alunos, docentes e pesquisadores. Este sistema de acesso mostrou-se de operação muito complicada e restringia em demasia o público-alvo.

Tendo isso em vista, o Conselho Superior do CIS decidiu, em agosto de 2005, de comum acordo com a Fundação Ford, ampliar o acesso do serviço a um público mais amplo: todos os alunos e pesquisadores ligados às ciências sociais e afins. Em função desta redefinição decidiu introduzir um novo procedimento para acesso aos bancos oferecidos. A partir de então, até hoje, as senhas são fornecidas, gratuitamente, aos consulentes interessados, mediante simples cadastro. Assim, desde 2005, o Consórcio de Informações Sociais vem operando como um sistema de acesso aberto para os pesquisadores.

Tendo em vista ampliar e facilitar o contato com o nosso público alvo, criamos um endereço adicional mais fácil de memorizar -- www.cis.org.br -- e iniciamos o envio mensal para nosso usuários um Boletim Eletrônico com notícias curtas sobre a evolução do Consórcio, a inclusão de novos bancos etc.

Ainda em 2005 o CIS começou a ministrar, a partir de outubro, dezenas de mini-cursos em diversas instituições de ensino e pesquisa do Pais. Contou para isso com apoio da CAPES-MEC que concedeu ao CIS uma bolsa de pós-doutor. Ao longo de dois anos os pós-doutores contratados, hoje docentes universitários, Profs. Paulo Perez e Mauricio Moya , ministraram quase 50 mini-cursos, com recursos da Ford e da Capes, atendendo cerca de 1200 alunos de graduação e pós-graduação. Paralelamente, foram ministrados outros 15 mini-cursos em unidades de ensino e pesquisa de questões agrárias, dentro de um convênio com o NEAD-MDA. Estes mini-cursos visavam estimular e preparar potenciais participantes do Concurso Josué de Castro que o Consórcio de Informações Sociais organizou e realizou em 2006 para o NEAD, premiando os melhores artigos sobre problemas agrários que usassem os bancos de dados do acervo do CIS.

Ao finalizar o convênio entre a ANPOCS e a Fundação Ford (1/06/2003 a 31/08/2007), o Consórcio de Informações Sociais havia multiplicado por 10 o seu acervo inicial de bancos de dados – contava então com 163 Bds – e que ampliara significativamente o número links que remetiam a Bds e tabelas de dados de outras instituições.

Na seqüência mudou o arranjo institucional em que se desenvolvia o Consórcio de Informações Sociais. A coordenação do projeto e os dirigentes do NADD, da ANPOCS e do Departamento de Sociologia da USP decidiram que seria mais seguro, do ponto de vista institucional, que o CIS se transferisse do NADD para o Departamento de Sociologia. Ao contrário dos núcleos, bastante afetados pelas as mudanças das políticas da USP em relação à pesquisa, os departamentos são estatutários e tem muito mais estabilidade. Esta alteração institucional envolveu uma mudança de sede, passando o CIS a ocupar uma área do Departamento de Sociologia no mesmo Prédio de Filosofia e Ciências Sociais da USP.

A partir de novembro de 2008 o CIS passou a ser financiado pela FAPESP em contrato que manteve-se até maio de 2011.

Iniciamos neste período a reformulação da coordenação do Consórcio, criando em 2009 a figura do coordenador-adjunto, para substituir eventualmente e colaborar com o coordenador do projeto. O Prof. Gustavo Venturi, do Departamento de Sociologia, aceitou colaborar com o CIS e ocupa desde então a função. Além desta mudança na coordenação, este período foi marcado pela reforma completa do sistema de intercâmbio de Bds pela internet mantido pelo CIS. O sitio ganhou nova aparência e principalmente houve melhorias importantes no funcionamento do sistema e no intercâmbio com os pesquisadores. Estas inovações foram implantadas no primeiro semestre de 2010.

A partir de 2011 o Consórcio de Informações Sociais passou a ser apoiado pelo CNPq. Neste último período, o acervo do CIS manteve o crescimento e foram implantadas várias inovações relevantes para o serviço:

  1. 1) A coordenação do CIS tornou-se colegiada, com a incorporação em 2014 do Prof. Edison Bertoncelo, do Departamento de Sociologia da USP, à coordenação adjunta. Com a gestão compartilhada entre coordenador e dois coordenadores adjuntos, a direção do projeto ficou menos pesada e mais ágil o seu contato com o analista de sistemas e os supervisores;
  2. 2) A comunicação do CIS com seu público foi aperfeiçoada de vários modos. O Consórcio passou a ter uma conta no Facebook desde 2012, o que facilitou enormemente o contato com os usuários efetivos e potenciais do sistema. Neste mesmo ano foi incrementada a qualidade do Boletim Eletrônico mensal com a inclusão de exemplos de reutilização de Bds do acervo;
  3. 3) A partir de 2014, o CIS começou a apresentar vídeos de instrução destinados a auxiliar os usuários a gerenciar os bancos de dados baixados de seu sitio. De início, foram disponibilizados na página do CIS vídeos mostrando passo a passo como trabalhar com os bancos utilizando o programa SPSS, o mais utilizado. Desde então tem sido publicados outros vídeos que auxiliam na análise de vários aspectos dos bancos do acervo. Em 2017 começamos a divulgar de vídeos que mostram, passo a passo, como fazer consulta online de bancos de dados;
  4. 4) Em março de 2017 o CIS começou a oferecer a possibilidade de consulta online de bancos quantitativos. Mais especificamente, pode-se saber pela pesquisa no sitio do CIS a freqüência de variáveis de qualquer banco do acervo. Neste mesmo ano o CIS passou a oferecer a possibilidade de consulta online de dois bancos de dados qualitativos, "Discursos sobre política externa dos presidentes FHC e LULA" e "POLI – Eventos de Política Nacional (1987-1995)";
  5. 5) Ao mesmo tempo, inaugurou-se a nova apresentação do sitio do CIS na internet, facilitando a pesquisa do bancos de dados, ao download, à pesquisa online e o acesso a vídeos de instrução que melhoram o aproveitamento das consultas feitas pela comunidade acadêmica de ciências sociais.